Burmilla: gato astuto, bonito e afetuoso; conheça

A fama dele é de individualista, mas o gato Burmilla é, na verdade, afetuoso e ligado a seu tutor. Saiba mais sobre esse felino muito inteligente lendo este artigo até o fim!

Primeiro, uma curiosidade sobre o nome, que deriva da junção de duas raças que deram origem ao gato: burmês e (persa) chinchila. Trata-se de uma das mais novas raças de felinos reconhecidas oficialmente por entidades internacionais.

A Burmilla surgiu na Grã-Bretanha em 1981, sendo validada em 1983 pela Cat Association of Britain, que em tradução livre é Associação Britânica dos Gatos. Porém, o aval da Fédération Internationale Féline (FIFE) só chegou em 1994.

Voltando à personalidade e ao caráter do gato, muita gente pensa que ele é individualista demais. No entanto, não é bem assim. O Burmilla gosta mesmo é de afeto e acolhimento; é amistoso, capaz de ficar no meio das pessoas agindo como membro da família, além de ser apegado ao tutor.

Cheio de energia principalmente quando filhote, o Burmilla segue gostando de brincadeiras na fase adulta. É um dos felinos “eternamente jovens”, devido seu temperamento divertido.

É do tipo que curte correr atrás de objetos, podendo inclusive pegá-los para levar ao humano. Um comportamento semelhante ao dos cães.

E mais: é sociável, afetuoso, tranquilo; gosta de muita atenção e carinho. E ainda costuma ter ótima adaptação aos espaços menores, sejam eles casas, apartamentos ou lojas. Se o local tiver um terraço, melhor ainda!

A raça também convive em paz com outros pets, incluindo os cães, ou com as crianças, sem grandes problemas. A facilidade aumenta quando o Burmilla é acostumado desde pequeno à convivência variada.

Burmilla: características físicas e curiosidades

Sua musculatura é forte e bem-desenvolvida. À primeira vista, parece rechonchudo, mas o efeito é causado por sua estrutura robusta e pelagem densa.

De médio porte, esse felino conta com um corpo proporcional, e pesado para seu tamanho, sendo as fêmeas, em geral, menores que os machos.

Sabe aquele bichano fofinho que temos logo vontade de acariciar? O Burmilla é um deles, pois sua cauda é grossa e peluda. Sem falar no pelo abundante no corpo, fino e com aspecto sedoso.

As bochechas do Burmilla também chamam atenção, principalmente nos machos, pois são mais largas. Sua cabeça é suavemente arredondada, larga na altura das sobrancelhas e mandíbula, terminando bruscamente no queixo em formato de cunha.

Já as orelhas têm distância média; a ponta do nariz e o queixo são alinhados; e seus olhos são grandes, amarelados, levemente puxados, parecidos com traços orientais. Com poucas exceções, o nariz do felino é vermelho tijolo, com linhas escuras formando uma moldura nesta parte e nos olhos.

A cor da pelagem do Burmilla é outro aspecto interessante, porque sua aparência lembra a de um gato branco/prata coberto por um véu de tonalidade escura bastante variada.

Ela vai do sombreado lilás ao chocolate ou marrom. E ainda: preto, azul, vermelho, creme e casco de tartaruga. As combinações das diversas marcas e cores resultam em mais de 40 mantos distintos.

São muitas as denominações relativas as alterações no pelo. Por exemplo: quando a parte escura é mais extensa – no máximo até a metade do pelo-, o gato é “shaded”; se a cor aparece somente na ponta do pelo, é “tipped”. Há também “mantos agouti”, com padrões “mackerel” e “brotched”.

Existe Burmilla de pelo longo, nascido do cruzamento deste com o chinchila do Reino Unido. Uma raça que atualmente está em processo de aperfeiçoamento e definição de padrões. Isso deve ocorrer para que seja reconhecida oficialmente com raça distinta, e não apenas com simples variação.

Como você viu hoje, o universo dos gatos é cheio de surpresas e detalhes, sejam eles sobre o caráter dos bichanos e/ou suas características físicas.

No próximo artigo, você confere muito mais! Até lá…

Leave a Reply