Cymric: felino bem-humorado, leal e sociável; dicas e cuidados

O Cymric é um gato que dificilmente arranja confusão. Fiel e muito ligado à família humana, é dócil, sociável. Quer saber mais sobre esse bichano doméstico? É só dar uma olhada nos próximos parágrafos!

Embora raramente participe de confusões, isso não quer dizer que seja um felino “paradão”. O Cymric é muito ativo, sempre está disposto a brincar. Vale a pena apostar em atividades nas quais ele possa pular em lugares muito altos.

Suas patas posteriores um pouco maiores do que as anteriores permitem que o gato alcance facilmente locais que atiçam sua curiosidade. O inteligente Cymric pode aprender, inclusive, a usar essas patinhas para pegar o que deseja e até abrir portas.

A dica para incrementar a diversão sem quebrar seus objetos decorativos mais frágeis é esconder os itens antes de começar a brincadeira de subidas e descidas desse bichano muito esperto.

Fora isso, é uma raça que, em geral, vive numa boa tanto em apartamento quanto em espaços abertos, com adaptação tranquila a qualquer ambiente.

O jeito calmo dele inclui o convívio com crianças, outros pets e pessoas desconhecidas. Ele gosta mesmo é de paz, mas com gente por perto, pois não curte ser deixado sozinho por muito tempo. E é muito ligado ao dono, sendo necessário dar muita atenção e carinho a esse gato.

Cymric: aspecto físico, curiosidades e mais…

As principais características físicas do gato Cymric são a ausência de rabo e a forma mais arredondada de seu corpo. Ele é também conhecido como uma versão de pelo semilongo da raça manx (esta que aparece na foto acima).

Na verdade, há quem considere o Cymric simplesmente como uma variedade da manx, e não uma raça extra. A semelhança é tanta que é praticamente impossível separar origem e trajetória desses animais.

A raça manx surgiu na Ilha de Man, Irlanda. Resumidamente, o Cymric surgiu depois que algo levou a uma deformidade no felino manx; um tipo de mutação que causou ausência das vértebras responsáveis pela formação da cauda de um gato.

Aliás, o nome Cymric vem da palavra “Cymru”, que significa “País de Gales” em gaulês. Como você pode notar, um termo que não tem ligação com esta região.

O aparecimento do gato diferenciado não teve muito destaque na ilha irlandesa. A nova raça só ganhou importância mesmo por volta de 1960, quando foi levada para a América do Norte. Foi aí que duas criadoras norte-americanas passaram a investir nessa variação do gato manx.

Por causa da alteração genética, alguns gatos Cymric podem passar a andar iguais aos coelhos, sempre saltando. Para diminuir as chances de isso acontecer, alguns criadores apostam no cruzamento do Cymric sem cauda com uma versão dele, de rabo um pouco mais longo.

Além das suposições e teorias sobre o Cymric, também surgiram várias lendas em torno desse animal. Uma delas conta que Noé teria, acidentalmente, arrancado o rabo do bichano ao fechar a porta de sua famosa arca.

Trata-se de uma curiosidade apenas… Na realidade prática, o Cymric, precisa de uma atenção especial quanto à sua espinha, pois a ausência de cauda acaba deixando as terminações nervosas desprotegidas. Sim, embora o felino não tenha rabo ou apresente um mais curtinho, os nervos estão ali.

É importante evitar tocar ou acariciar a área, para não causar dor. Transportar ou pegar o bichano no colo requer um certo suporte na parte traseira dele ou segurar suas pernas de trás. Isso ajuda a sustentar a região e diminuir a pressão sobre sua coluna.

Fora isso, o pelo do Cymric não pede cuidados específicos para ficar saudável e bonito. Para manter a pelagem vistosa, uma escovação semanal é suficiente.

Assim, o bem-humorado, sociável e inteligente gatinho fica com aparência sedosa, sem pelos mortos ou sem correr o risco de engolir fios demais ao tomar aquele banho de língua que os felinos tanto gostam.

Lembrando que as dicas disponíveis aqui são gerais e não substituem o acompanhamento com um veterinário e outros cuidados.

Até o próximo artigo!

Leave a Reply