Doenças transmitidas pelo gato: saiba como evitá-las

Doenças transmitidas pelo gato acontecem quando ele não é tratado do jeito ideal, entre outros motivos. Veja hoje como elas acontecem e o que fazer para que o contato com fezes, saliva ou pelos do bichano não prejudique a saúde da sua família.

Para começar, é relevante destacar que o compromisso de cuidar bem dos animais de estimação ajuda a evitar os problemas mais comuns e as Doenças transmitidas pelo gato. Além disso, vale a pena ainda tomar certos cuidados com aqueles encontramos fora de casa, sobre os quais falarei depois…

No caso gato doméstico, a medida principal é levar o felino ao veterinário sempre que necessário, e pelo menos uma vez por ano. Outras estratégias de bem-estar são: manter o pet em local tranquilo; oferecer água fresca e ração, a comida adequada e mais completa para ele.

As principais doenças transmitidas pelos gatos são: alergia respiratória; toxoplasmose; micose de pele; infecção por Bartonella henselae; esporotricose; síndrome da Larva Migrans Visceral; e ancilostomíase.

Doenças transmitidas pelo gato: veja mais detalhes

1. Alergia respiratória – certas pessoas desenvolvem até asma por causa de uma proteína, a glicoproteína, que é encontrada nos gatinhos e desencadeia uma variedade de sintomas alérgicos. Por exemplo: espirro, inchaço das pálpebras, entre outros problemas respiratórios.

São indivíduos que não devem ter gatos como animais de estimação e precisam evitar ao máximo o contato com eles fora da residência. Para identificar uma alergia assim, é bom ficar atento a sinais como sensação de resfriado constante e nariz pingando.

2. Ancilostomíase – ocorre quando o parasita entra na pele, podendo provocar nos humanos fadiga, febre, tosse, hemorragia no fígado, perda de apetite e anemia. O recomendado para evitar a contaminação é não andar descalço em casa ou quintal onde o gato frequenta e faz suas necessidades.

E mais: os cuidados incluem vacinação em dia e avaliação médica no mínimo a cada 12 meses. Também é importante dar remédio de vermes para o felino e manter uma caixa de areia própria para fezes e urina, acostumando o animal a deixar sempre ali seus dejetos.

3. Esporotricose – é uma das Doenças transmitidas pelo gato e passa através da mordida ou arranhadura do animal contaminado pelo fungo causador da enfermidade.

Geralmente, surgem feridas difíceis de cicatrizar quando o bichano tem esse mal, que é tratado com antifúngicos como tioconazol, sob orientação veterinária.

Como o gato pega a esporotricose? O fungo costuma ser adquirido entre os bichanos durante suas brigas. O controle nos animais é feito somente por meio de medicamentos receitados pelo médico.

Quanto a nós, devemos ficar distantes de gatos feridos. Se o seu pet – ou qualquer outro – estiver assim, use luvas de borracha para manuseá-lo e siga à risca as indicações do tratamento especializado. Dessa maneira, você salva a vida dele e evita Doenças transmitidas pelo gato!

4. Infecção por Bartonella henselae – essa bactéria pode ser transmitida quando o gato arranha a pele humana. É facilmente adquirida por quem está com a imunidade baixa, mas todos devem se prevenir mantendo distância de animais com comportamento arisco, que arranham e/ou mordem as pessoas. Outra dica é não provocar com bichanos que não curtem brincadeiras.

5. Micose de pele – o contato pele a pele com gatos pode causar vermelhidão e muita coceira. É a micose, cujo tratamento é feito com uso de antifúngicos como o cetoconazol. Proteja-se mantendo os gatinhos bem-cuidados.

6. Síndrome da Larva Migrans Visceral – está entre as Doenças transmitidas pelo gato que ingere ovos da verminose. Essa síndrome geralmente atinge fígado, intestino, coração ou pulmões, levando a uma série de complicações nos humanos.

Para evitar a contaminação, jogue as fezes do gato no lixo, devidamente ensacadas. Se preferir, os dejetos podem ser colocados no vaso sanitário, com descarga logo em seguida. É fundamental também dar vermífugos ao animal.

7. Toxoplasmose – as fezes do gato podem transmitir a toxoplasmose, um perigo para as grávidas porque é capaz de causar má-formação do feto.

Ensine o bichano a fazer suas necessidades em local próprio, a ser limpo com frequência. É importante ainda usar luvas para higienizar a caixa de areia dos felinos e jogar fezes e urina no lixo ou vaso sanitário, como falei no tópico anterior.

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui acompanhamento veterinário e outros serviços especializados. Consulte sempre um profissional capacitado para obter diagnósticos e tratamentos adequados.

Até o próximo artigo!

Leave a Reply