Fungos em gatos: causas e importância de notar sinais

Fungos em gatos costumam ter sintomas como a coceira constante e áreas do corpo sem pelo. Saiba hoje como identificar o problema, como ele acontece e que consequências pode trazer ao seu pet Vamos lá!

As manifestações de Fungos em gatos podem incluir descamação na pele, com sinais de inflamação; lesões nas unhas e nas patas, orelhas e cabeça.

Aviso: a presença de um ou mais sinais descritos neste artigo não quer dizer, necessariamente, que seu animal de estimação esteja com fungo. Este post tem a função de informar. Não substitui consultas e tratamentos com veterinário e outros cuidados. Consulte sempre um profissional especializado.

Há vários tipos de fungos capazes de perturbar a qualidade de vida dos felinos, porém, o que não muda é o fato de todos eles provocarem uma condição tópica, ou seja, algo externo.

O motivo? Os micro-organismos que causam a infecção habitam as camadas superficiais e mortas da pele, unhas e pelos. É nelas que os fungos se reproduzem e, assim, resultam nos sintomas que vemos nos animais.

Microsporum Canis é o nome do responsável por 90% dos casos de Fungos em gatos. Também chamada de micose, a infestação é muito contagiosa, tanto para outros bichos quanto para humanos.

Sem falar que distúrbios causados por Fungos em gatos compreendem aqueles que atingem só a pele (micoses) e os casos nos quais o fungo provoca uma enfermidade sistêmica que migra para vários órgãos, entre eles cérebro, pulmões e fígado.

As doenças sistêmicas geralmente aparecem nos felinos que já apresentam alguma moléstia crônica ou estão desnutridos, sendo muitas delas difíceis de reconhecer e tratar. Em certas situações, é preciso recorrer a recursos como exames de sangue, cultivos, biópsias ou radiografias.

Por todos estes motivos, é tão importante conhecer os sinais e combater os Fungos em gatos. Então, ao perceber sintomas como os citados anteriormente, é bom ir ao veterinário o quanto antes para ter um diagnóstico preciso. Outra razão para isso é que a presença da micose pode esconder doenças fúngicas como a esporotricose, comum nos bichanos.

Na clínica, o médico verifica o corpo todo do gato, além de analisar o pelo no microscópio, usar lâmpada de luz violeta ou até mesmo colher um pouco do tecido danificado pelo fungo. Este último procedimento serve não apenas para confirmar a existência do micro-organismo, mas também para determinar seu tipo.

Fungos em gatos: outras doenças

Um dos Fungos em gatos mais frequentes, seja nos animais jovens ou adultos, é o Cryptococcus neoformans, um micro-organismo levadurirforme que causa uma enfermidade chamada criptococose.

Este fungo pode ser adquirido quando os bichanos inalam esporas encontradas no chão fortemente contaminado por excrementos de aves, em especial os dos pombos. E se o gato estiver com a imunidade baixa, a probabilidade de infecção aumenta.

Existe ainda a histoplasmose, causada pelo Histoplasmose capsulatum, um fungo que cresce mais em locais com muito nitrogênio, tais como a região central dos Estados Unidos, por exemplo.

Na maior parte dos gatos, a histoplasmose apresenta os seguintes sintomas: manqueira, febre, perda de apetite, fraqueza e redução no peso. Todavia, pele, olhos, fígado e aparelho respiratório também podem ser atingidos.

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui acompanhamento veterinário e outros serviços especializados.

Fungos em gatos: conclusão…

Nossos amigos peludos têm fama de independentes (alguns até mais do que outros), mas, com certeza, precisam de nossos olhares sempre atentos a qualquer mudança no visual ou no comportamento. Afinal, Fungos em gatos, além de comprometerem o bem-estar dos felinos, podem esconder uma doença ainda pior, infelizmente.

Espero que este artigo possa auxiliar nos cuidados com a saúde do seu querido pet, ou, quem sabe, ajudar um amigo que esteja precisando…

Encontro você aqui em breve. Até lá!

Leave a Reply