Golfinho: inteligente, amigável e gracioso; saiba mais

A aparência fofa já é de derreter corações, né? Sem falar que o Golfinho é considerado o animal mais inteligente do planeta… Vem comigo, que as curiosidades sobre esse mamífero pra lá de simpático estão só começando!

Um comportamento que chama atenção no Golfinho é sua capacidade de ajudar animais doentes ou feridos. Sim, ele possui esse instinto, principalmente com seu grupo. E isso não é um caso isolado, algo que aconteceu uma só vez.

Os amigáveis Golfinhos adoram brincadeiras, inclusive com pessoas. Extremamente inteligentes, ficam atrás neste quesito apenas de nós. O que foi demonstrado por meio de testes feitos por cientistas.

Um exemplo das habilidades é que o Golfinho produz assobios individuais e consegue se reconhecer através desses sons, isto é, cria nomes.

Existem cerca de 37 espécies conhecidas de Golfinhos no mundo todo, de água doce e salgada, mas todas perfeitamente adaptadas à vida no ambiente aquático. Aliás, esses empolgados animais são excelentes nadadores e mergulhadores.

Embora sejam vistos frequentemente na superfície exibindo seus encantos e talentos, podem chegar à profundidade de até 300 metros. Além disso, conseguem nadar em velocidade de 4 a 11 km/h, sendo que alguns atingem os 30 km/h. E ainda saltam e fazem acrobacias.

A espécie mais comum é a Delphinus delphis. Golfinhos, botos, delfins, peixes-botos ou toninhas são cetáceos que fazem parte das famílias Delphinidae e Platanistidae.

Devido sua grande capacidade de socialização, interação e criação de vínculos, eles podem formar grupos mistos com outros cetáceos.

Uma curiosidade extra: sabia que as baleias assassinas são parentes do dócil Golfinho? Elas são a maior espécie, chegando a 9 metros de comprimento.

Golfinho: conheça seu comportamento e características físicas

Ele fica com a mãe por mais tempo, ao contrário do que acontece com a maioria dos bichos. O Golfinho permanece na companhia materna durante 3 a 8 anos.

Os machos são maiores que as fêmeas, sendo que o tamanho de um Golfinho pode variar de 1,5 metros a 10 metros de comprimento.

A pele muito delicada dos Golfinhos faz com que eles se machuquem com facilidade. Um toque apenas já pode causar um corte superficial. Mas a alta capacidade de cura é surpreendente; a cicatrização é muito rápida.

E as curiosidades não param por aí… O Golfinho possui dois estômagos! Um serve para guardar os alimentos; o outro faz a digestão. É preciso que seja assim porque ele não mastiga a comida, engole inteira, para depois processá-la. Os dentes servem apenas para pegar as presas, geralmente peixes pequenos e lulas. O resto é como a sua fisiologia diferenciada.

O animal mais inteligente pode viver aproximadamente 30 anos, e sua carinha de bebê permanecerá até o fim. Na natureza, o Golfinho vive em média 17 anos; em cativeiro, o tempo costuma ser maior.

Ao dormir, ele mantém uma parte do cérebro acordada, alerta. Isso serve para não descuidar de potenciais predadores e ainda possibilita a respiração durante o sono.

Embora a visão do Golfinho não seja lá muito boa, seu senso de localização é extraordinário, graças aos sacos aéreos encontrados em cima de sua cabeça. Estas estruturas produzem sons ultrassônicos ou de alta frequência que atuam como sonares e trazem a informação do que está à frente.

Depois de tanta coisa interessante sobre o Golfinho, você pode estar se perguntando onde conseguiria vê-lo ao vivo… No Brasil, ele ocorre em todo o litoral, do Rio Grande do Sul ao Nordeste.

Os lugares mais famosos, que promovem atividades interativas e mergulho com os Golfinhos, são: Fernando de Noronha; Angra dos Reis; Florianópolis; Bombinhas.

Por aqui, os mais encontrados são o boto-cor-de-rosa, o golfinho-rotador, a toninha, além do tucuxi, boto-cinza e golfinho nariz de garrafa.

Quem sabe nas próximas férias você não tem o prazer de observar de perto um desses animais marinhos incríveis, né? Eu bem que gostaria!

Até breve!

 

 

Imagens: Pixabay

Leave a Reply