Marsupiais: reprodução, crescimento e curiosidades

Coala, gambá, canguru, cuíca e o diabo-da-tasmânia são os chamados Marsupiais. O nome vem da palavra em latim “marsupiu”, que significa “pequena bolsa”. Não sai daí que o post de hoje está só começando! E cheio de curiosidades do mundo animal para você…

Existem aproximadamente 335 espécies de Marsupiais na Austrália e no continente americano, sendo que a ordem Didelphimorphia abrange a maioria deles nesta última região.

Os cangurus formam o grupo mais representativo desses animais na Austrália; enquanto os gambás predominam na América do Sul. No Brasil, cuícas e gambás são Marsupiais mais comuns.

A bolsa de pele conhecida como marsúpio fica no ventre das fêmeas Marsupiais. Essa é a principal característica desses mamíferos, embora nem sempre ela seja tão dilatada.

Algumas espécies de Marsupiais não contam com uma bolsa de pele capaz de abrigar o filhote igual à dos cangurus, fazendo com que ele fique agarrado aos mamilos para completar seu desenvolvimento.

Durante os 55 primeiros dias de vida, os filhotes de gambá, por exemplo, permanecem ligados ao mamilo que alcança o estômago dos recém-nascidos. É uma junção importante durante o longo período de lactação.

Somente a partir desta fase, os bebês Marsupiais, com a boca completamente diferenciada, começam a largar do mamilo por alguns instantes e, portanto, a “explorar” o meio externo. É também quando iniciam experimentos com os alimentos encontrados ao redor – se estivem em cativeiros, aproveitam as comidas disponíveis nas gaiolas.

Em geral, o filhote mama até o centésimo dia, enquanto vai, aos poucos, se tornando independente. Um detalhe curioso é a mudança na pigmentação de suas orelhas (no gênero D. marsupialis), indicando que é hora de separar os filhotes da mãe. Do contrário, acabam sendo agressivos com ela.

Os criadores conseguem lançar mão de recursos como o rodízio de filhotes, para deixar apenas um deles por vez com a fêmea por mais tempo. Funciona assim: mantém-se um, ou no máximo dois, por períodos de 24 horas.

Mesmo dessa maneira, é necessário acompanhar bem o comportamento, evitando que os filhotes machuquem a mãe. Normalmente, a estratégia vale a pena quando as ninhadas são menores.

Contudo, o fato de permanecer “grudado” à fêmea é um traço marcante que difere os Marsupiais dos animais placentários, cujo desenvolvimento embrionário acontece completamente dentro do útero.

Marsupiais: detalhes de sua anatomia, procriação e mais

A bolsa marsupial é citada como aspecto característico da ordem, todavia, alguns pesquisadores defendem que, na verdade, o trato urogenital é o aspecto que distingue mais significativamente os Marsupiais dos outros mamíferos.

Os dutos urinários passam no meio dos dutos genitais desses bichos, enquanto ocorrem lateralmente nos eutérios (“subclasse de mamíferos que encerra animais vivíparos, cujo desenvolvimento embrionário se efetua inteiramente no útero materno”).

As fêmeas Marsupiais possuem duas vaginas laterais que se unem e formam uma vagina mediana. No parto, surge um canal no tecido conjuntivo, entre a vagina mediana e o sinus urogenital, para que o feto consiga passar. Em boa parte desses animais, é um tubo transitório, formado novamente a cada parto.

Resumindo as particularidades dos Marsupiais são:

  • Bifurcação no pênis dos machos
  • Existem espécies de carnívoras, herbívoras, insetívoras, nectarívoras e onívoras
  • Menor período gestacional (até 40 dias)
  • Podem ser arbóreos, terrestres ou semiaquáticos
  • Vagina e útero duplos nas fêmeas

Na categoria dos Marsupiais Didelfídeos (Didelphis), estão os gambás e cuícas. Aliás, o termo gambá deriva do tupi-guarani e quer dizer “ventre aberto”. Isto é, a forma de reprodução deles atraiu a atenção dos povos pré-coloniais.

Acredita-se que desde que Vicente Pinzón deu uma fêmea de gambá aos reis católicos espanhóis, os Marsupiais têm despertado interesse na cultura ocidental.

E não é difícil de entender os motivos, como você viu… Sem dúvida, os Marsupiais trazem características físicas que a maioria de nós nem imagina, não é mesmo?

Fico por aqui hoje, mas em breve tem muito mais sobre os bichos!

Até lá…

 

Imagens: Pixabay

Leave a Reply