Pixiebob: manso, amoroso e com aparência de lince

A semelhança com o gato silvestre americano bobcat é o grande destaque da raça Pixiebob. Mas sua aparência selvagem não tem relação com seu temperamento. Veja os porquês nos parágrafos abaixo… Vamos lá!

O Pixiebob é um animal tranquilo, muito companheiro e capaz de desenvolver uma verdadeira adoração por sua família humana. Entretanto, para entender melhor suas características físicas e de personalidade, é importante falar sobre a origem dele.

Esse bichano, que é um híbrido entre gatos domésticos e linces pardos (selvagens), foi criado por Carol Ann Brewers. Todavia, são considerados totalmente animais domésticos porque um teste de DNA não encontrou indícios da segunda espécie.

Na verdade, o passado do Pixiebob é controverso. Acredita-se, inclusive, que esse tal cruzamento do qual falei acima não passa de um mito, pois seria um “acasalamento geneticamente muito improvável”.

A versão é popularmente incentivada, contudo, a história verdadeira da criação não está completamente determinada, sendo seus dados baseados nos registros de Brewers, tida como pioneira na criação da raça.

Considerando isso, o Pixiebob teria surgido em Washington, nos Estados Unidos, em 1985, quando houve o cruzamento inusitado de uma gata doméstica com um lince vermelho.

O nome da raça, à proposito, é explicado a partir da combinação de “pixie”, o nome da gata, e “bob”, termo usado para o lince vermelho – em inglês, é “bobcat”.

O tempo foi passando e, depois de muitos cruzamentos, em 1998, foi reconhecido um padrão definitivo. Sua popularidade ganhou impulso por causa dos traços de personalidade herdados da “mãe” e da beleza selvagem do “pai”.

Resultado: o Pixiebob é um bichano harmonioso, de bom temperamento e fácil de cuidar. Um pet amoroso, carinhoso e com uma pitadinha de independência. Por esses motivos, é indicado especialmente para famílias com crianças ou quem nunca criou gato.

O visual meio lince e o olhar mais forte não refletem a verdadeira personalidade desse felino caseiro, amigável e manso, que pode até receber as visitas, dando as boas-vindas com seu jeitinho elegante. Aposto que ninguém resiste à sua pelagem macia, lanosa!

Pixiebob: temperamento ativo e outros detalhes

A raça vem em duas versões: pelo longo (longhair) e pelo curto (shorthair). E não é raro o Pixiebob Shorthair ser confundido com o gato american bobtail, por exemplo. O exemplar da foto acima é uma fofura mais peluda!

Há quem diga que o Pixiebob é um “cachorro em pele (e pelo) de gato”, uma vez que ele ama passear – no colo ou carro – e ainda aceita andar de coleira com muita tranquilidade.

É um felino que também pode viver numa boa em apartamentos, mas desde que exista um espaço para ele explorar e gastar energia. O que requer, em alguns casos, janelas e sacadas sempre fechadas ou com telas de segurança, para evitar acidentes.

Não acabou! Ele não é hiperativo, apenas costuma estar sempre ocupado; gosta de interagir, de participar do máximo de atividades, sejam estas com pessoas ou outros animais. Às vezes, é um pouco barulhento porque “conversa”.

Essa raça tende a criar uma relação muito próxima, de fidelidade, com toda a família, e não somente com seu tutor. Por esse motivo, é considerada excelente companhia para crianças e pets em geral.

Mesmo assim, também tem seus momentos de solidão e independência. Ao contrário de inúmeras variedades de gatos, o bichano Pixiebob não fica incomodado se passar horas sozinho.

Contudo, prepare-se para dedicar um tempo a ele, nem que seja no final do dia, após chegar do trabalho. Ele vai exigir bastante atenção, não importa se é para receber carinho, todo relaxado, ou brincar à vontade.

Hoje você viu como é o Pixiebob, um felino dócil e carinhoso como um gato doméstico, mas com o aspecto e a presença de um lince. Sem dúvida, um animal impossível de não ser notado, e amado, não é mesmo?

Até o próximo artigo!

 

Fotos: Waifer X – Flickr CC

Leave a Reply