Tigre de Bengala: belo, famoso, venerado – e em risco!

O Tigre de Bengala é chamado de “o caçador mais famoso da selva”. Com seus olhos poderosos, adequados à visão na escuridão, costuma aproveitar as noites para buscar suas presas, preferindo descansar durante o dia. E tem mais…

O nome popular dele vem de sua presença em Bengala Ocidental, perto do Golfo de Bengala. No meio científico, é Panthera tigris tigres, um dos bichos mais conhecidos no mundo atualmente, sendo inclusive tema de livros e filmes.

É o maior felino do planeta, com sua pelagem rajada única, além da ferocidade e grande força que possui. O corpo dele conta com aproximadamente 270 cm de comprimento, medindo 1,5 m até os ombros.

O Tigre de Bengala pesa cerca 220 quilos, dependendo do gênero. Apresenta corpo bastante atlético, patas grossas; garras, mandíbulas e dentes poderosos.

O interessante padrão de suas listras nunca é o mesmo de um Tigre de Bengala para outro. É uma característica similar à da zebra e à impressão digital humana. Fora isso, a pelagem permite que fique camuflado na flora de seu habitat.

Outra curiosidade sobre esse lindo animal é que, na Índia, acontecem diversas comemorações dedicadas ao Tigre de Bengala, tido por lá como um tipo de deidade. Normalmente, é encontrado nas selvas e bosques espessos que rodeiam o país.

Ele é sagrado, assim como a vaca. Trata-se de um animal nacional na Índia e, também, em Bangladesh, onde é venerado e querido.

Conhecido por “tigre indiano” e “tigre real”, esse grande felídeo é uma das cinco subespécies restantes, e o segundo maior, perdendo somente para o tigre siberiano.

Na verdade, existiam oito subespécies de tigres, mas três delas acabaram exterminadas ao longo do século 20. Nos últimos 100 anos, a caça e a devastação das florestas levaram as populações de centenas de milhares de animais para, provavelmente, menos de 2500.

Se antes o Tigre de Bengala habitava boa parte das regiões arborizadas da Terra, hoje corre perigo de desaparecer, infelizmente; está catalogado por uma entidade, a União Internacional para a Conservação da Natureza(UICN), como ameaçado de extinção.

A atividade humana fez com que ele perdesse espaço e, por consequência, alimentos e liberdade de locomoção. Quando falta alimento em sua área, o Tigre de Bengala costuma ser “obrigado” a atacar pessoas. Mas são raros os casos de agressões assim. Geralmente, ocorrem devido à interferência em seu meio ou carência de comida mesmo.

Falando em comer, o Tigre de Bengala consome entre 10 e 15 kg de carne diariamente. Os mais vorazes chegam aos 20 kg, porém, isso não é tão usual na maioria das vezes. A dieta básica desse animal é formada por búfalos, antílopes, javalis e outros bichos de grande porte.

Tigre de Bengala: saiba mais sobre ele

Solitários na maior parte do tempo, os Tigres de Bengala tendem procurar o sexo oposto apenas para procriação.

O tempo de gestação é de três a quatro meses, resultando em quatro a seis filhotes. As fêmeas cuidam deles até cerca de 18 meses, enquanto crescem e aprendem a caçar. Depois, as crias seguem seu destino à procura de seu próprio território.

Apesar dos esforços na tentativa de proteger a espécie, o Tigre de Bengala é vítima frequente de caçadores em busca de sua pele e outros órgãos, que são comercializados no mercado negro.

Isso é impulsionado ainda por uma crença de que alguns dos órgãos do “tigre indiano” possuem propriedades curativas, sendo utilizados principalmente na medicina chinesa.

Os tigres são caçados para serem exibidos como verdadeiros troféus e devido supostas propriedades terapêuticas de suas partes. O resultado é que todas as cinco restantes subespécies de tigres restantes correm perigo de extinção.

Há exemplares albinos do Tigre de Bengala, cujo encanto maior é a impressionante pelagem branca repleta de listras. Embora escassos, apresentam comportamento idêntico aos demais indivíduos da espécie.

O Tigre de Bengala é o mais comum, e sua população corresponde a cerca de 50% de todas as espécies de tigres selvagens. No decorrer dos séculos, ele ganhou status de importante parte da tradição e sabedoria indianas.

Então, que a sabedoria prevaleça no resto do mundo e a gente possa cuidar melhor do Tigre de Bengala e dos nossos animais em geral, para que eles não sejam extintos, né?

Até o próximo post!

Imagens: Pixabay

Leave a Reply