Toxoplasmose: “doença do gato”; prevenção e mais…

A Toxoplasmose é popularmente conhecida como a “doença do gato”, pois os bichanos estão entre as formas de transmissão. Trata-se de uma infecção causada pelo protozoário Toxoplasma gondii. Conheça agora seus modos de propagação, sintomas, tratamentos e prevenção. Vem comigo!

Para começar, veja como a Toxoplasmose pode ser adquirida:

  • De mãe para filho, quando gestantes infectadas e não tratadas passam a doença para o bebê
  • Consumindo leite não pasteurizado
  • Ingerindo alimentos contaminados – por exemplo: carnes mal cozidas, principalmente de boi, porco e carneiro, além de outros itens crus, mal higienizados e com cistos, contaminados por fezes de gatos infectados
  • Recebendo transfusão de sangue
  • Bebendo água contaminada pelo protozoário da Toxoplasmose
  • Ingestão de cistos oriundos de latas de lixo, areia e solos contaminados com fezes de felinos

Um detalhe importante: a Toxoplasmose não é transmitida diretamente de uma pessoa a outra, exceto na infecção intrauterina através da placenta, que ocorre em cerca de 40% dos fetos de mães contaminadas durante a gravidez.

Quanto aos sinais da infecção, eles são mais evidentes em pessoas com a imunidade comprometida (hiv positivos, transplantados, pacientes em tratamento com quimioterapia) e nas grávidas, que costumam desenvolver formas graves da doença.

Os primeiros indícios da Toxoplasmose tendem a ocorrer cerca de 5 a 20 dias após o contágio. Mas, na maioria dos indivíduos, ela não provoca sintomas. No entanto, é bom ficar atento em caso de:

  • Cansaço
  • Dor na cabeça e garganta
  • Dor nos músculos e articulações
  • Febre
  • Ínguas, principalmente na área do pescoço
  • Manchas vermelhas no corpo
  • Dificuldade para enxergar

Aviso: a presença de um ou mais sinais descritos neste artigo não quer dizer, necessariamente, que a pessoa esteja com Toxoplasmose. Este post tem a função de informar. Não substitui consultas, tratamentos e outros cuidados. Consulte sempre um profissional especializado.

Normalmente, quem apresenta a forma grave da Toxoplasmose tem como sintomas forte cansaço, sonolência, delírios, redução da força e dos movimentos corporais.

As consequências mais severas desse mal são: prejuízo no funcionamento de coração, pulmões, fígado e cérebro; cegueira, convulsões e morte.

Essa infecção é capaz de seguir pela corrente sanguínea e surgir de maneira disseminada ou localizada, em gânglios linfáticos e alguns órgãos. É o caso da Toxoplasmose ocular, por exemplo.

A boa notícia é que a Toxoplasmose tem cura! E o tratamento é feito por meio de antibióticos, sendo que estes variam de acordo com o tipo e a gravidade da doença.

O ideal mesmo é prevenir a Toxoplasmose. Um dos cuidados é a relação com os gatos, claro! Veja como na segunda parte deste artigo! Não perca…

Toxoplasmose: saiba como evitar

1. Higienize alimentos que serão consumidos crus, tais como verduras, frutas e legumes. Você pode usar 1 colher (sopa) de água sanitária para cada litro de água. Deixe os vegetais de molho nessa mistura por 30 minutos e, em seguida, enxágue-os em água corrente.
2. Consuma somente água filtrada, potável ou mineral.
3. Cozinhe bem todas as carnes, e evite as malpassadas em restaurantes.
4. Lave bem as mãos depois de tocar gatos desconhecidos, caso não queira ou não possa evitar esse contato.
5. Se você tem gato em casa, leve-o ao veterinário para fazer exames que revelam a presença da Toxoplasmose, impedindo a transmissão da doença para humanos.

Mas existem outras dicas para ajudar manter seu pet saudável…

Antes de encerrar, saiba que simples medidas podem reduzir o risco de seu animal de estimação ser um transmissor da Toxoplasmose.

Por exemplo: manter o pet dentro de casa; não dar carne crua a ele; trocar a caixa de areia diariamente, uma vez que o parasita Toxoplasma ainda não é infeccioso de 1 a 5 dias depois de ser eliminado nas fezes do gatinho.

Até breve com muito mais conteúdo sobre animais!

Leave a Reply