Cachorro Curiosidades

Botulismo em cachorros: causas, sintomas e tratamento

Botulismo

O botulismo em cachorros é uma doença rara e potencialmente fatal. Seu cão pode adquirir a condição como resultado da ingestão:

  • De tecido em decomposição de animais mortos;
  • De material vegetal onde a bactéria Clostridium botulinum produziu uma toxina.

A toxina afetará o sistema nervoso do animal, levando a uma variedade grande de sintomas. Sendo que, tais sintomas, em geral, só poderão ser observados de 12 até 36 horas após a exposição às bactérias.

Embora seja uma doença que tem a ocorrência rara, o botulismo em cachorros não tem hora nem local para acontecer. O mal pode acabar levando à:

  • Fraqueza;
  • Paralisia parcial ou total dos membros;
  • Possivelmente à morte.

Sintomas de botulismo em cachorros

Os sintomas do botulismo, comumente são causados ​​pela paralisia muscular e incluem as seguintes condições:

  • Vômitos ou diarreia;
  • Baba excessiva;
  • Dor no abdômen do animal;
  • Agravamento da fraqueza;
  • Paralisia normalmente começando com os membros posteriores, mas se espalhando para todo o corpo;
  • Problemas de visão;
  • Grande dificuldade em mastigar e engolir determinados alimentos;
  • Diminuição da frequência cardíaca;
  • Dificuldade em se respirar normalmente.

Como citado acima, os sintomas serão tipicamente observados apenas de 12 a 36 horas após a exposição do pet às bactérias.

Tipos de bactérias

A Clostridium botulinum produz uma toxina que, quando ingerida, pode levar a doenças graves. Existem sete tipos de Clostridium botulinum: A, B, C1, D, E, F, G. Quaisquer um dos sete, é baseado nos antígenos específicos das toxinas. O tipo C1 é mais frequentemente visto em animais.

Mas, embora o botulismo em cachorros raramente ocorra, quando ocorre, geralmente é causado pela toxina do tipo C. Houveram relatos de que o tipo D também é responsável pela doença em vários animais.

Botulismo

As principais causas da doença

Como é sabido, o botulismo é causado pelo consumo de uma toxina produzida pela Clostridium botulinum. O organismo se multiplica rapidamente no tecido em decomposição de animais mortos, bem como, às vezes, em material vegetal.

Quando o cão come algo com a toxina, ela é passível de causar paralisia. Quando um animal sofre dessa terrível condição, em geral é devido à ingestão do que foi citado acima.

Diagnóstico de botulismo em cachorro

Caso os tutores acabem notando que o cão parece alerta, mas não consegue se mover, é importante levá-lo ao veterinário. A paralisia motora levará o profissional a considerar o botulismo como uma causa.

Provavelmente, algumas investigações serão feitas acerca de quaisquer possíveis oportunidades que o animal possa ter tido para consumir algo com a toxina.

Possivelmente também será solicitada a obtenção de mais informações acerca do histórico médico e de vida do seu cão. Deve-se listar também quaisquer outros sintomas que o tutor tenha notado (e quando os notou).

É um desafio para o veterinário fazer um diagnóstico definitivo de botulismo em cachorros, pois o mal é bastante raro. Tem também o empecilho dos sintomas que podem ser semelhantes aos de outras doenças, como por exemplo:

  • Envenenamento;
  • Infecção do sistema nervoso;
  • Lesão do sistema nervoso;
  • Miastenia grave;
  • Reação a uma droga;
  • Derrame.

Amostras de soro, fezes, bem como vômitos ou amostras do alimento que o animal ingeriu podem ser testadas quanto aos níveis de toxinas. No entanto, como os níveis são baixos, os testes podem não ser obtidos.

O diagnóstico geralmente será feito através da eliminação de outras possíveis causas de paralisia motora. Se o tutor notar que seu cão está rondando em torno de uma carcaça de animal, isso pode ajudar a apontar para o veterinário uma direção certa.

Tratamentos mais indicados para botulismo em cachorro

O tratamento para botulismo em cachorros é feito principalmente para fornecer cuidados de suporte. Isso inclui:

  • Terapia respiratória;
  • Fluidos intravenosos para manter o cão hidratado;
  • Cuidados de enfermagem geral.

No caso de convulsões e tremores, o profissional pode recomendar alguma medicação. As feridas que foram infectadas com botulismo devem ser completamente limpas.

Mesmo com um alto nível de atendimento feito pelo veterinário, ainda é possível que o animal leve semanas para apresentar melhora na paralisia de seus membros.

Provavelmente vai demorar ainda mais para que o sistema nervoso volte a funcionar normalmente. Como pode ser difícil encontrar um hospital de animais que ofereça o nível de atendimento necessário, o botulismo em cachorros pode ser fatal.

Houve algum sucesso com a antitoxina botulínica, embora esse procedimento dependa do tipo de animal que o hospedeiro é. Além disso, também deve-se levar em conta a toxina envolvida na doença.

O sucesso de qualquer processo para curar a doença está tipicamente relacionado à dose do veneno ingerido pelo cão. Contudo, também está equiparado à:

  • Rapidez com que o animal adoeceu;
  • Rapidez com que os sintomas progrediram;
  • Gravidade dos sintomas;
  • Rapidez com que o tratamento foi iniciado.

Botulismo

Como alimentar com segurança uma dieta crua para seu animal de estimação

É importante ressaltar que o botulismo é o resultado de carne podre – e não crua. A alimentação com dietas que possuem carne crua fresca para cães é comumente indicada pelos veterinários.

Esse tipo de conduta pode ser tomada, bastando apenas prestar atenção em determinadas ações. Para evitar que os parasitas (lombrigas, ancilóstomos, tênias, etc.) invadam a dieta caseira crua do animal de estimação, simplesmente é preciso evitar incluir as entranhas – estômago e intestino delgado e grosso – na mistura de carne.

Estes são os órgãos que abrigam os parasitas. Se o tutor estiver comprando as refeições disponíveis comercialmente, as tripas já foram removidas. Caso contrário, devem ser removidas por si próprias.

Como ocorre a recuperação nos casos de botulismo em cachorro

Caso o animal esteja lutando contra o botulismo, deve-se seguir as instruções do médico veterinário com cuidado. Sendo assim, o pet terá uma melhor oportunidade para a recuperação completa.

Para os cães que sobrevivem à doença, a recuperação é tipicamente de 1 a 3 semanas. Mesmo assim, os sinais clínicos podem permanecer presentes nos meses seguintes.

É importante ficar de olho e impedir que o pet entre em contato com animais mortos e em decomposição que possam causar o mal. Além disso, os cuidados com a alimentação devem ser constantes. Ficar atento quando for passear, seja onde for, pode impedir por completo a ocorrência do botulismo em cachorros.

Faça um Comentário