Remela em gatos: por que surge e como limpá-la

Remela em gatos pode ser algo normal ou sinal de infecção, entre outros problemas. Pensando na saúde do seu felino, hoje eu trago dicas de como desconfiar que é hora de levar o bichano ao médico. E saiba também como limpar essa secreção. Dá uma olhada:

1. Tenha um lugar fixo para limpar a Remela em gatos, de preferência afastado de outros humanos ou animais. Isso ajuda a manter o animal relaxado.

2. Reforce a confiança de seu pet em você acariciando-o antes, durante e depois de remover a Remela em gatos. Lembre-se que os olhos do bichano são delicados e, portanto, ele só permitirá ser tocado se acreditar que o gesto não causará mal.

3. Durante a higienização, preste atenção ao globo ocular, identificando se há sujeira, mais opacidade ou vermelhidão na área.

4. Passe somente colírios próprios para animais, e somente quando o veterinário prescrever.

5. Utilize uma toalhinha ou gaze, sempre tendo em mente que não deve deixar fiapos. Se achar necessário, molhe levemente a gaze ou tecido em água limpa ou soro fisiológico.

6. Para tirar a Remela em gatos, limpe em torno dos olhos, as pálpebras, cílios e perto do canal lacrimal. São cuidados que garantem uma boa higiene.

7. Aproveite o processo de limpar Remela em gatos para escovar seu amigo de patas, ajudando a eliminar pelos soltos que possam acabar caindo nos olhos.

Remela em gatos: saiba mais sobre limpeza

É aconselhável limpar o focinho do seu peludinho querido várias vezes ao dia com um lenço para animais ou uma toalha. Desse modo, você evita que qualquer impureza acumulada na pelagem vá parar nos olhos do bichano (ou cachorro).

Quanto à Remela em gatos, assim como acontece conosco, eles também têm nesta secreção um mecanismo de defesa para umedecer e dar fim a minúsculos corpos estranhos que possam cair ali.

A frequência da limpeza do local é importante para evitar problemas futuros ou infecções, e em geral deve ser feita todo dia pela manhã. A limpeza da Remela em gatos, portanto, faz parte da saúde ocular.

Um detalhe importante: animais com rugas no focinho ou dobras precisam de mais atenção neste sentido, já que as lágrimas ou remelas tendem a ficar infiltradas nas cavidades da pele. Com o acúmulo de umidade, o ambiente é perfeito para proliferação de bactérias.

Os bichinhos de cara achatada tendem a apresentar mais problemas neste sentido. Uma dica é limpar as dobras do focinho com gaze seca de vez em quando, para manter a zona sempre seca.

No caso dos bichanos de olhos mais salientes, é fundamental caprichar na higiene porque o formato favorece a entrada de poeira ou pelos, impulsionando a produção de Remela em gatos.

Remela em gatos: tipos

Além de mostrar como limpar Remela em gatos, agora vou falar dos diferentes tipos de secreções nos olhos desses animais. A ideia é entender os motivos e evitar que complicações ocorram.

Se a remela estiver verde, com consistência maior que a habitual, e os olhos apresentarem irritação, talvez o animal esteja com alguma infecção ou conjuntivite.

Em geral, o tratamento da conjuntivite é simples – e deve ser receitado por um médico. É bom destacar que qualquer sinal de irritação nesta parte requer avaliação, principalmente se existirem outros sintomas, tais como depressão ou coceira constante.

Às vezes, a sujeira nos olhos ou conjuntivite pode ser indício de males mais graves, entre eles o glaucoma. Mas, felizmente, na maioria dos casos, os problemas são menores.

É considerada normal a Remela em gatos localizada fora dos olhos, na cor branca e com aspecto endurecido. E, para limpá-la, você pode passar uma gaze seca.

Quando a Remela em gatos ainda está dentro, na borda ou canto, ou seja, não desceu para a pálpebra inferior, o cuidado deve ser maior, para não machucar a delicada estrutura ocular. Então, talvez seja melhor umedecer a gaze em água morna, pressionando levemente a remela para baixo.

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui acompanhamento veterinário e outros serviços especializados. Consulte sempre um profissional capacitado para obter diagnósticos e tratamentos adequados.

Encontro você aqui no próximo artigo! Até lá!

Leave a Reply