Cachorro Curiosidades

A polêmica da eutanásia em cães: veja como funciona

Eutanásia em cães

Ver nossos entes queridos sofrendo, é sempre uma dor imensurável, e não é diferente quando se trata de nossos bichinhos!  Presenciar o seu melhor amigo de quatro patas sofrendo não é tarefa fácil, e diante disso muita gente opta pela eutanásia em cães.

Esse dilema já foi vivenciado por qualquer pessoa que tenha um animal de estimação que ficou gravemente doente. Entretanto, antes de mais nada, devemos entender como é e o que resulta esse processo.

Entendendo o que é eutanásia

“Eu” (boa) “thanatos” (morte), segundo o dicionário quer dizer:

  • Em termos médicos – Ação de provocar morte (indolor) a um paciente atingido por uma doença sem cura que causa sofrimento e/ou dor insuportáveis;
  • Em termos jurídicos – Direito de causar a morte em alguém ou de morrer por esse propósito.

O ato da eutanásia em cães está sempre associado a uma doença sem possibilidade de cura, aliado a um sofrimento muito elevado. Quando consideramos sacrificar nossos animais, estamos pensando mais neles do que em nós. Isso porque, após o processo, o que fica é a saudade, mas o sofrimento e a dor já não fazem mais parte do cotidiano do seu amigo canino.

A polêmica que gira em torno da eutanásia em cães

Quando se trata de tirar uma vida arbitrariamente, a polêmica sempre estará presente. Muitas pessoas defendem que o animal deve passar o ciclo natural da vida, bem como morrer sem a intervenção humana.

Mas, não existe uma opção correta. Existe aquela que você é capaz de escolher, pois é o melhor para si, mas principalmente para o cachorrinho em sofrimento. Os nossos valores morais e éticos são inerentes à nossa espécie. Um pet não pensa sobre os termos filosóficos da eutanásia, ele só se preocupa em parar de sentir dor e sofrer.

Não cabe a nós julgarmos quem opta ou não pela eutanásia em cães. Mas sim, refletir sobre o que é melhor para aquele momento e o que o cachorro está vivenciando.

Eutanásia em cães

Indicações para o procedimento

A Lei brasileira do CFMV (Conselho Federal de Medicina Veterinária), através da resolução de nº 1000, com data em 11 de maio de 2012, tem algumas previsões. Por exemplo, o Art. 3º diz que a eutanásia em cães é indicada em casos onde é considerado que:

  • O cão está com o seu bem-estar comprometido parcial ou completamente de uma maneira tida como irreversível. Este procedimento deve ter a única forma de eliminar o sofrimento, bem como a dor do animal. Tal ação deve ser praticada quando não se pode medicar e controlar os sintomas através dos analgésicos, nem dos sedativos ou de outros tipos de tratamento;
  • O cão constitui um tipo de ameaça à saúde geral (pública).

Métodos de eutanásia em cães

Para efetuar o sacrifício dos cachorros no Brasil, existem alguns parâmetros norteados pelo CFMV. É uma série de determinados princípios que devem ser seguidos para se executar a eutanásia em cães. Entre eles estão:

  1. Participação de um especialista veterinário;
  2. Ausência de dor e desconforto nos animais;
  3. Busca de uma inconsciência imediata após a morte;
  4. Irreversibilidade e segurança.

A primeira ação é a anestesia geral no animal, para que ele não sinta, nem remotamente, qualquer tipo de dor e sofrimento na hora do procedimento. Geralmente, utilizam-se fármacos com o efeito de parar o funcionamento do sistema nervoso central, bem como do coração.

Após este procedimento inicial, o corpo desse animal pode ser encaminhado até o órgão competente. Nesse caso, existe a opção da prefeitura local ou até mesmo de uma empresa que trabalhe com o processo de cremação dos animais.

Muitos proprietários de pets consideram que esta é uma forma digna de manter a memória do seu companheiro: em vasos de cinzas. Já existem instituições especializadas em fornecer esse tipo de serviço, o que é excelente para quem concorda com a conduta.

Se você está nessa situação, converse com o seu veterinário. Assim, decida com ele qual seria o melhor método dentro dos princípios legais que estão à disposição do seu animal.

A eutanásia em cães pode ser um gasto financeiro considerável. Entretanto, procure locais de confiança para que o procedimento seja feito da melhor maneira possível. Algumas cidades, como São Paulo, oferecem o serviço através do pagamento de uma taxa.

Eutanásia em cães

Eutanásia em cães é sempre recomendada?

Ainda estamos falando acerca de uma das polêmicas mais discutidas dentro do mundo dos pets. Alguns são fiéis afirmadores de que, quando existe chance de cura ou adiamento não se deve optar pela eutanásia em cães. As melhores opções são os tratamentos paliativos que sejam capazes de manterem a qualidade de vida do querido animal.

A ação mais indicada é a procura imediata de um veterinário que seja de confiança. Se necessário, é preciso verificar mais de uma opinião, afinal, sacrificar um bichinho de estimação não é uma tarefa absolutamente nada fácil. Sempre que possível, deve ser evitada.

Não desistir do pet até que se esgotem todas as possibilidades é o que de melhor pode se fazer pelo amigo de quatro patas. Muitas vezes, o bichinho é mais forte do que todos imaginam.

A partida de um animal de estimação causa luto como a perda de um ente querido. Preencher o vazio deixado pelo som do latido, as patinhas no chão, a carinha pedindo comida é quase impossível. Quiçá, os pulos ao ver o tutor e aquela bagunça com o papel higiênico ao se chegar em casa depois de um dia pesado de trabalho, pode ser impossível de esquecer.

Converse com seus amigos e familiares, desabafe, permita-se sentir falta e quando estiver pronto, procure outro animal. A perda de um amigo canino não é impeditiva para doar todo o seu amor novamente. Cada bichinho tem um universo dentro de si e nunca nenhum será substituído, mas sempre há espaço para mais um amigo fiel no nosso coração!

Se os amigos de quatro patas estão sofrendo, sentindo dor, não há problema algum em se considerar fazer uma eutanásia em cães. Tendo em vista que deve se escolher o que é melhor para os pets, os tutores podem se sentir em paz.

Faça um Comentário