Gato com depressão: saiba como ajudar

Gato com depressão é algo que não desejamos ver, certo? Mas, quando isso acontece, é melhor perceber logo, para tomar as medidas certas a tempo antes que a situação piore.

Conheça hoje os principais sinais de que seu amigo peludo precisa de atenção especial, e o que fazer para ele superar os momentos difíceis. Antes, alguns esclarecimentos sobre o tema…

Certos sintomas apresentados pelos bichanos levam seus tutores a concluírem que estão deprimidos. Porém, o termo depressão, para muitos, não é considerado o ideal ao dar nome a essa condição – e vou utilizá-lo aqui para facilitar o entendimento, sem entrar no mérito de quem está certo ou errado, ok?

Na verdade, há quem defenda que os gatos têm distúrbios comportamentais e médicos. São estados de tristeza profunda, disfunções de caráter psicológico típicas em humanos, mas notadas também nos animais.

Esse tipo de complicação emocional, que afeta a vida de cães e gatos, é alvo de pesquisas científicas. Que bom, pois quem tem pet sabe como é bom vê-lo animado, saudável, feliz. Contudo, nem sempre é assim, infelizmente.

Problemas de comportamento causam muito sofrimento aos bichos. Para auxiliar você, tutor, confira os sintomas mais frequentes de um Gato com depressão são:

  • Agressividade
  • Debilidade
  • Dificuldade para comer
  • Fraqueza
  • Introversão
  • Irritabilidade
  • Medo
  • Redução da atividade física

Os sinais clínicos da depressão em gatos são, no geral, muito parecidos com os dos cães que sofrem da doença. Todavia, nos bichanos, há dois principais diferenciais: agressividade e vocalização exagerada (miados frequentes e altos). Mais comuns nos felinos, tais indícios fazem com que até a fisionomia deles seja alterada.

Mas o que será que está por trás de um Gato com depressão? Fatores como solidão prolongada e perda de ente querido, por exemplo. Só que os motivos para o surgimento da doença em animais podem ser muitos. Dá uma olhada:

1. Mudanças bruscas na rotina ou ambiente (residência, móveis) podem favorecer a tristeza excessiva nos gatos.
2. Perder um amigo felino é capaz de provocar a Depressão em gatos.
3. Chegada de um novo animal de estimação ou bebê na família.
4. Nervosismo ao visitar pet shops ou veterinário tende a causar reações indesejáveis no comportamento.
5. Convivência com pessoas muito estressadas pode ser prejudicial ao bichano devido sua alta sensibilidade, uma vez que ele capta as vibrações ao seu redor.
6. Dieta desequilibrada costuma entrar na lista de gatilhos da depressão felina porque a falta de nutrientes essenciais influencia o surgimento de alterações orgânicas e hormonais. Este contexto facilita o aparecimento de disfunções psicológicas.
7. Refeições monótonas não agradam ao felinos, já que eles consideram o ato de comer uma espécie de diversão. Por isso, a tendência é que fiquem mais tristes se tudo é sempre muito igual.
8. Falta de passeios/liberdade pode provocar Depressão em gatos. O risco aumenta quando eles não são esterilizados, pois ficar dentro de casa por muito tempo é difícil para espíritos tão independentes.
9. Ausência de estímulo afeta o humor e aumenta a chance de surgir a tristeza profunda.

Um agravante no diagnóstico de um Gato com depressão é justamente a independência. Isso faz com que seus cuidadores demorem um pouco mais a notar os indícios de que algo está errado. Resultado: piora no quadro de depressão e dificuldade no tratamento.

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui acompanhamento veterinário e outros serviços especializados. Consulte sempre um profissional capacitado para obter diagnósticos e tratamentos adequados.

Gato com depressão: tratamento

O diagnóstico preciso deve ser realizado por um profissional. Feito isso, existem remédios e atividades para ajudar no tratamento do Gato com depressão.

Entre as medidas para restabelecer a saúde dele estão: redução de qualquer fator de estresse; ajuste na alimentação e aumento de brincadeiras, jogos, diversão.

Com as mudanças certas, em poucas semanas o bichano já pode apresentar melhoras, tais como ficar mais extrovertido e manuseável, menos agressivo ou nervoso, equilibrado na função urinária e alimentação.

Ajuda também, no caso do Gato com depressão, não introduzir um novo pet em casa na fase de tratamento. Essa novidade costuma agravar a condição.

Até o próximo artigo!

Leave a Reply