Gatos e crianças: dicas para uma boa convivência

Gatos e crianças podem conviver em harmonia se respeitado o jeitinho felino de ser. Quer saber qual é, e o que fazer para o pet ser um amigo e tanto para seu filho? Então não perca o post de hoje, que está só começando…

1. A principal dica para um bom relacionamento entre Gatos e crianças é: ensine-as que os bichanos não são brinquedos, que não gostam de ser perseguidos o tempo inteiro e agarrados à força.

E lembre-se: os felinos costumam sentir medo ao enfrentar situações perigosas ou estranhas, sob a ótica deles, claro. Quando acuados, na falta de uma rota de fuga, podem atacar, embora a primeira reação seja fugir e procurar abrigo. São características próprias dos gatos.

2. Mostre ao seu filho que o ideal é chamar o felino, em vez de agarrá-lo. Afinal, é praticamente inevitável que a criança queira não apenas a companhia do peludo, mas também tocar o bicho. Contudo, nem sempre pega o fofo do jeito aconselhável.

O recomendado é ensinar ao seu pequeno como ele pode oferecer uma guloseima ou petisco ao pet toda vez que este atender ao chamado. Se não tiver algo especial em casa, improvise com ração úmida em uma colher para facilitar o treinamento!

3. Gatos e crianças juntos costumam resultar em arranhões e machucados se elas não assimilarem que os felinos são caçadores natos, e às vezes querem fazer de nossas mãos e pés a “caça” perfeita.

Se for um filhote, ainda pode apresentar a chamada “agressividade lúdica”, que significa usar dentes e garras para brincar com tudo o que vê pela frente. Para evitar acidentes com esse instinto natural, mostre ao seu filho como oferecer ao animal um brinquedo (pode ser bicho de pelúcia) para o pet deixar rolar seu vigor de caçador.

Gatos e crianças: mais sugestões

4. Proporcione atividades interessantes, como jogos com bolinhas de papel ou de pingue-pongue. Elas são ótimas para os Gatos e crianças interagirem à vontade. Com certeza, as brincadeiras proporcionarão cambalhotas, corridinhas e muitos saltos para os felinos, e sorrisinhos encantados nos pequenos.

Tenha em mente que, quanto mais atividade o felino tiver, incluindo lugares altos para escalar e explorar, menos necessidade terá de recorrer a mãos e pés de gente.

5. A família ganhou um bebê? Para evitar o estresse que a novidade é capaz de provocar no gatinho, associe o recém-nascido a coisas positivas. Por exemplo: ofereça atenção, brinquedos ou comidas gostosas quando o baby estiver por perto.

Isso ajuda a evitar comportamentos como ficar escondido na maior parte do tempo ou desconfiado. É importante também respeitar o espaço e os momentos do gato.

Se a boa convivência entre Gatos e crianças demorar um pouco, tenha paciência, persista nas associações para que elas possam realmente surtir o efeito esperado.

6. Por fim, e não menos relevante, um cuidado simples que faz muita diferença: mantenha as unhas do seu pet aparadas, sempre! Assim, eventuais brincadeiras entre Gatos e crianças não causarão problemas.

Para encerrar…

A convivência entre Gatos e crianças traz muitos pontos positivos, apesar de muitas pessoas ainda serem um pouco preconceituosas em relação a essa amizade.

Ter um animal de estimação auxilia no desenvolvimento humano porque estimula o senso de responsabilidade, a afetividade; e ajuda a aumentar a autoestima, entre outros aspectos.

Na prática, nossos filhos têm mais facilidade na demonstração de carinho, por exemplo. E quando entendem as limitações dos bichos e a dependência deles das pessoas, costumam ficar menos ansiosos e mais pacientes.

É óbvio que, como você viu aqui hoje, dicas são fundamentais para preservar o bem-estar de todos. Também não podem faltar sensibilidade e calma.

O fato é que os bichanos são animais sociais, podem estreitar laços de forma plena com outras espécies, inclusive com as crianças. Aproveite!

Atenção: este post tem função de informar. Não substitui acompanhamento veterinário e outros serviços especializados. Consulte sempre um profissional capacitado e tenha as orientações adequadas sobre saúde e comportamento animal.

Até o próximo artigo!

Leave a Reply